Prefeitura de Curitiba libera cultivo de hortas em calçadas

Moradores da cidade denunciaram dois hortelões urbanos por cultivarem alimentos em espaços públicos. Os mesmos foram notificados pela Secretaria de Urbanismo pois, de acordo com um decreto municipal, só é permitido o plantio de grama nas calçadas da cidade.

O prefeito Rafael Greca recebeu então os responsáveis pela horta cultivada no Cristo Rei, Ricardo Leinig e Márcia Steil, e pelas bananeiras plantadas no Hugo Lange, Vanderlei Lozano Silva, nas audiências do 156, próprias para desatar nós burocráticos da cidade.

Na reunião, o prefeito anunciou que vai criar nova regulamentação, que estimule a agricultura urbana e solucione casos similares, evitando conflitos como os que ocorreram com Vanderlei e Ricardo e Márcia. “A agricultura urbana é uma tendência mundial, a humanidade tem que se voltar de novo para terra e para o arado”, disse o prefeito. Greca ainda brincou com os participantes. “Se Burle Marx, meu amigo e grande paisagista brasileiro, fosse vivo, ia louvar a ideia de colocar bananeiras, ao invés de roseiras europeias, no jardim.”

No encontro, Greca disse que vai suspender as sanções por plantar hortas em calçadas contra Vanderlei e Ricardo e Márcia, enquanto o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, o Ippuc, está fazendo nova regulamentação para estes tipos de casos.

O Ippuc já constituiu um grupo de estudo para flexibilizar o uso do remanescente de recuo, área onde usualmente fica o canteiro de grama nas calçadas. A atual legislação não prevê o aproveitamento dessas áreas para este fim, o que obriga a fiscalização a penalizar quem cultiva nesses recuos.

Os responsáveis pela horta do Cristo Rei, Ricardo Leinig e Márcia Steil, também celebraram o resultado. Leinig explicou ao prefeito que medidas de segurança foram tomadas. “Para evitar a poluição, usamos plantas não comestíveis, que protegem as hortaliças”, contou.

Para reforçar o apoio a agricultura urbana o prefeito Rafael Greca, junto com o diretor presidente da concessionária Rumo, Júlio Fontana Neto, inauguraram 24ª horta comunitária que tem apoio da Prefeitura. Localizado em um terreno da concessionária de trens (antiga ALL), no bairro Cajuru, o local passa a ser cultivado por 24 famílias da Comunidade Oficinas e da Vila Betel. “Esta nova horta comunitária, projeto da Prefeitura e da Rumo em uma faixa de domínio da ferrovia, é um espaço de agroecologia que permitirá às famílias terem alimentos saudáveis e, por estar próximo à linha férrea, funcionará como área de segurança dos trens, além de evitar ocupação irregular”, destacou o prefeito.

O prefeito Rafael Greca validou em reunião no Ippuc, o projeto do Centro de Referência em Agricultura Urbana e Economia Criativa. O projeto será instalado na área anexa ao pátio de manobras de trens próximo à Rodoferroviária, na área do Vale do Pinhão e será fruto de parceria entre o município e a concessionária Rumo (antiga ALL).

As hortas comunitárias são um dos programas da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento desde 1986. Hoje a cidade conta com 848 famílias participantes das hortas urbanas numa área total de 410 mil metros quadrados espalhados por Curitiba. Das 392 escolas, 85 têm hortas comunitárias.

Publicado em SustentArqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.