Bolhas de ar para tirar o lixo plástico das águas

O projeto “The Great Bubble Barrier” desenvolveu um método para evitar que dejetos plásticos jogados em rios e canais cheguem aos oceanos. A grande barreira de bolhas, nome da iniciativa em tradução livre para o português, busca evitar que parte dos 8 bilhões de quilos de lixos plásticos despejados por ano nos oceanos chegue até lá – estima-se que cerca de 75% desse volume seja proveniente de rios e canais.

Desenvolvido por três holandesas, o sistema funciona como uma espécie de propulsor, jogando o lixo plástico para a superfície por meio do bombeamento de bolhas de ar. Uma mangueira é instalada no fundo do canal e cria uma “cortina de bolhas”, que faz com que o lixo suba. Com a correnteza do rio, os dejetos tendem a se acumular nas margens e então podem ser recolhidos (inclusive através da instalação de esteiras transportadoras). O método evita que o lixo plástico chegue ao fundo dos rios e seja levado até os oceanos pelo fluxo das águas.

As idealizadoras da barreira de bolhas, Anne Marieke Eveleens, Francis Zoet e Saskia Studer, venceram o primeiro prêmio na Plastic Free Rivers Marathon (algo como “Maratona dos Rios Livres de Plástico” em português). O evento, organizado pela companhia holandesa de abastecimento de água PWN e pela Rijkswaterstaat, o órgão nacional responsável pelos serviços de infraestrutura hidráulica, aconteceu em julho de 2016, na cidade de Utrecht, na Holanda, e contou com a participação de 12 equipes, que desenvolveram e apresentaram seus projetos ao longo de três dias. A vitória permitiu que o grupo desenvolvesse um projeto piloto de suas ideias no Rio Issel, que corre para o norte da Holanda. O Issel é o rio de fluxo mais rápido do país e o piloto foi realizado em novembro de 2017.

Publicado em Envolverde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.