Potato Plastic: talheres e sacolas biodegradáveis feitos de batata

Um estudante sueco de design encontrou uma maneira de reduzir o consumo de plástico usando batatas. Uma das soluções para o problema das milhões de toneladas de resíduos plásticos que poluem o meio ambiente a cada ano, seria o material descartável chamado “Potato Plastic”, um plástico alternativo, biodegradável e compostável feito ​​à base de fécula de batata.

O inventor é Pontus Törnqvist, 24, de Gotemburgo, estudante de Desenho Industrial da Universidade de Lund e vencedor da etapa sueca do prêmio James Dyson 2018. Seu projeto “Potato Plastic” se consiste de um material biodegradável feito apenas com fécula de batata e água. O composto é aquecido até o líquido engrossar, depois é colocado nos moldes e arrefecido até ficar sólido.

O material resultante é um tipo de termoplástico – um plástico criado pelo aquecimento e que endurece uma vez arrefecido – o que significa que é moldável em qualquer forma e, uma vez que é composto apenas de substâncias naturalmente biodegradáveis, emprega apenas dois meses para se decompor.

Sua suposição é a de que, se uma grande porcentagem de plástico circulando em nosso ambiente vem da indústria de fast-food, devemos aproveitar a oportunidade para adaptar sua qualidade ao tempo de vida esperado. O que significa que “as qualidades biodegradáveis ​​da Potato Plastic permitem que você use um produto apenas uma vez. Após o que se decompõe em nutrientes no solo. Algo que é usado apenas uma vez não deve ser de qualidade duradoura”.

Com este sistema, os fast-foods poderão utilizar produtos “plásticos”, como talheres, canudos e recipientes, sem causarem grande impacto ambiental.

Forte e flexível como o talheres de plástico clássicos, aqueles concebidos pelo estudante sueco têm a vantagem de não poluir, durar apenas o tempo que for necessário e além disso, também pode ser comido.

A ideia de obter plástico a partir da batata não é nova e, de fato, há muitos vídeos que circulam na internet que nos convida a tentar faze-lo com um experimento caseiro. A questão é proibir de vez a fabricação de novos objetos de plástico que as indústrias, o comércio, assim como as pessoas se viram rapidinho pra encontrarem uma solução.

 Algumas cidades no Brasil já proibiram  o comércio de alguns objetos de plástico. Mas isso é ainda pouco. O problema pede solução urgente!

Publicado em GreenMe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.