Com prédios sustentáveis e reutilização de biomassa, Austin é ícone ambiental nos EUA

Austin, capital do estado do Texas, é conhecida por sua liderança ambiental. Uma das razões para essa fama é o Green Building Program (Programa de Construção Verde de Austin), um projeto que fornece apoio técnico a proprietários, arquitetos, designers e construtoras na concepção e construção de casas e edifícios que agridam menos o meio ambiente e reduzam o consumo de energia e água.

O site norte-americano Grist publicou que a cidade deve atingir o índice de 20% das suas necessidades de eletricidade (energia solar) através da utilização de energias renováveis e de eficiência energética até 2020. Então, o empreendedor que deseja ter uma construção com índices de eficiência energética melhores conta com consultoria fornecida pela prefeitura, segundo os pesquisadores da Plataforma de Cidades Sustentáveis.

Construções da cidade, desde 2007, devem ser 75% mais eficientes no aproveitamento de energia solar e água que as tradicionais.
As construções da cidade, devem ser 75% mais eficientes no aproveitamento de energia solar e água que as tradicionais.


Este tipo de ação pode tornar mais viável a construção de equipamentos mais sustentáveis. Com a participação de 2.400 domicílios e 213 mil m² de áreas comerciais, o Austin reduziu pelo menos, até 2011, o consumo total de energia da cidade em 30,7 milhões de megawatt/hora. As obras são fiscalizadas para a verificação da adaptação dos sistemas e o cumprimento de que cada empreendimento está 75% mais eficiente que as construções tradicionais.

Em junho de 2012, a prefeitura informou que vai investir U$15 milhões (cerca de R$ 30 milhões) para atualizar o sistema de iluminação pública. Ou seja, remover cúpulas de plástico existentes de acordo com as lâmpadas, para torná-las mais eficientes; comprar 35 mil luzes de LED, que usam metade da energia das lâmpadas existentes e podem durar 15 anos, como informou o Grist. Ainda nessa linha, desde 2006, a cidade vem desenvolvendo o programa Zero-Energy Capable para tornar as casas autossuficientes em geração de energia.

Outro programa da cidade é o Dillo Dirty em que as aparas de jardins do município são levadas para a compostagem, em um forno (cujas temperaturas são de 130 e 170 Fahrenheit), utilizadas em jardins de espaços públicos e vendidas para empreendedores comerciais. Além disso, de acordo as informações da prefeitura local, existem políticas de incentivos para que os empresários invistam em modelos de negócios sustentáveis.

 Texto extraído de EcoDesenvolvimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.