Cachorros podem lembrar e imitar ações de humanos

Os cachorros são capazes de aprender, reter na memória e lembrar, após um breve período de tempo, as ações ensinadas por humanos, segundo um estudo publicado nesta terça-feira pela revista “Animal Cognition”.

O estudo, de Claudia Fugazza e Adam Miklosi, da Univesidade Eötvös Loránd da Hungria, indica que esta imitação diferida proporciona a primeira prova da capacidade cognitiva dos cachorros para codificar e lembrar ações.

Os cachorros domésticos são particularmente receptivos aos gestos e comunicações humanas. Aprendem porque observam atentamente os humanos e recebem facilmente a influência humana em situações de aprendizagem.

A convivência com grupos sociais humanos pode ter favorecido a capacidade dos cachorros para aprender dos humanos, segundo os autores.

Estudo indica que imitação diferida proporciona a primeira prova da capacidade cognitiva dos cachorros para codificar e lembrar ações
Estudo indica que imitação diferida proporciona a primeira prova da capacidade cognitiva dos cachorros para codificar e lembrar ações.


Os donos de oito cachorros adultos os treinaram com um método desenvolvido por Fugazza e depois lhes fizeram esperar intervalos de 5 a 30 segundos antes de permitir-lhes que copiassem a ação humana observada, como, por exemplo, caminhar ao redor de um balde.

Os pesquisadores observaram se os cachorros eram capazes de imitar as ações humanas com demoras de 40 segundos a 10 minutos, períodos nos quais distraíram os cães com outras atividades.

“A dona Valentina fez com que seu cachorro Adila ficasse quieto e a observasse, sempre na mesma posição”, explicou Fugazza dando como exemplo um dos experimentos.

“Foram escolhidos três objetos ao acaso e colocados no chão cada um deles à mesma distância de Adila”, acrescentou. “Quando Adila estava em posição de espera, Valentina demonstrou uma ação relacionada com o objeto, como, por exemplo, balançando um sino com a mão”.

Depois Valentina e Adila fizeram um intervalo e foram para trás de um biombo usado para ocultar os objetos, de modo que o cão não pudesse manter a atenção sobre a demonstração observando o objeto.

Durante a pausa Adila e Valentina brincaram com uma bola ou praticaram uma atividade de instrução diferente.

“Quando terminou o intervalo, Valentina foi com seu cachorro à posição de partida e lhe deu a ordem. Adila então realizou a ação que tinha sido feita por Valentina antes”, disse Fugazza.

As provas demonstram que os cachorros são capazes de reproduzir ações familiares e ações novas após demoras diferentes. No caso de ações familiares podem fazê-lo ainda após intervalos de até dez minutos, enquanto as novas podem ser reproduzidas após até um minuto.

“A capacidade para codificar e lembrar uma ação após uma demora prova que os cachorros têm uma representação mental da demonstração humana”, destaca o artigo.

Além disso, a capacidade para imitar uma ação nova após um período de tempo sugere a presença de um tipo específico de memória de longo prazo nos cachorros.

Texto publicado em Exame.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.