Sono no trabalho? Pode ser culpa da poluição

Quem trabalha em prédios mais modernos sabe como são aquelas longas reuniões em salas onde as janelas não abrem e os termostatos são regulados como se quer, para economizar energia. Chega uma hora em que dá um sono quase invencível.

Estes ambientes artificiais podem estar resolvendo alguns problemas, mas causando outros, como se descobre agora. De acordo com cientistas americanos do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, altos níveis de dióxido de carbono em escritórios e salas de aula afetam nossa concentração e nossa capacidade de tomar decisões.

Foto: normalityrelief/Creative Commons.
Foto: normalityrelief/Creative Commons.


A fonte primária de CO2 em ambientes fechados são as pessoas. Do lado de fora, as concentrações típicas são de 380 partes por milhão. Dentro de salas, elas podem chegar a milhares. Estes níveis são resultado em parte de ventilação precária, pela necessidade do corte de consumo de energia nos edifícios.

No Instituto Fraunhofer de Circuitos e Sistemas Microeletrônicos em Duisburg, na Alemanha, pesquisadores vem tentando encontrar modos de diminuir a poluição interna.

O instituto, trabalhando com a empresa Athmer, projetou uma vedação nas portas que mede as concentrações de CO2. Um sensor registra os dados e, quando se alcança um limite, o sistema de ventilação é ligado, trazendo oxigênio novo para os cérebros cansados, conta o Tree Hugger.

Publicado em Planeta Sustentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.