Lago assassino na África transforma animais em estátuas

A natureza pode ser assustadora, como prova o Lago Natrão, no norte da Tanzânia. Essa porção de água assassina alcança temperaturas de 60 ºC, e seu pH vai entre 9 e 10.5. O nome vem do natrão, composto a base de carbonato de sódio e bicarbonato de sódio, proveniente das cinzas vulcânicas de um vale na região. As informações são da New Scientist.

Flamingo no Lago Natrão: natrão, composto a base de carbonato de sódio e bicarbonato de sódio, proveniente das cinzas vulcânicas de um vale na região.
Flamingo no Lago Natrão: natrão, composto a base de carbonato de sódio e bicarbonato de sódio, proveniente das cinzas vulcânicas de um vale na região.

Esse poço mortal abriga um tipo de tilápia ultra-resistente (Alcolapia alcalica), mas é fatal para outros animais. Aves que se acidentam em suas margens, iludidas pela superfície refletora do lago, têm um destino cruel: acabam mortas e calcificadas, como estátuas. Flamingos que tentam usar suas ilhas de sal como ninho correm o mesmo risco, como mostra a foto no topo.

O fotógrafo Nick Brandt, explorador da África e diretor do clipe de Earth Song, de Michael Jackson, visitou o Lago Natrão em 2010 e fotografou o resultado macabro do contato da água com os corpos mortos dessas aves. As imagens estão disponíveis no site do fotógrafo, que está lançando um novo livro de fotos, Across the Ravaged Land.

Publicado em Exame.com.

Um comentário em “Lago assassino na África transforma animais em estátuas

  • 4 de outubro de 2013 em 12:28
    Permalink

    Incrível e assustador ao mesmo tempo!
    Matéria muito interessante, nunca ouvi falar desse lago!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.