Bituca Verde aposta na logística reversa de cigarro

Milhares de pontas de cigarro são descartadas incorretamente todos os dias nas ruas, avenidas e outros espaços públicos do país por cerca de 30 milhões de fumantes. Esses resíduos, quando coletados pelos serviços de limpeza urbana, vão parar em aterros e lixões. Se não são coletados, geralmente seguem para o sistema de esgotamento sanitário e vão poluir lagoas, rios e lençóis freáticos.bituca-ecod

Bitucas, guimbas, tocos ou xepas de cigarro, como são chamados nas diferentes regiões brasileiras, são materiais tóxicos como os cigarros e representam grandes riscos à saúde e ao meio ambiente, mesmo depois de descartados. Este fato intrigava Fabiano Russo, que depois de pesquisar o assunto acabou criando uma empresa inovadora.

Há três anos, ele fundou a Bituca Verde, um empreendimento que produz e comercializa coletores pessoais e comerciais para pontas de cigarros, que depois de descartadas em ecopontos do Programa de Coleta de Bitucas (Bitueco) são transformadas em insumo dos fornos da indústria de cimento. O papel dos resíduos também é reaproveitado pela indústria de papel.

“O que motivou a criação da empresa foi o desafio de dar destinação correta aos resíduos de cigarros”, afirmou Fabiano. Em São Paulo (SP), 34 milhões de bitucas são jogadas no chão diariamente, e na capital fluminense, este número é de aproximadamente 20 milhões/dia, informou ele. “Nossa ideia era montar um negócio com diferencial e oferecer uma solução além do cinzeiro”, ressaltou o empresário.

A empresa oferece nove tipos de ‘bituqueiras’ ou cinzeiros ecológicos, cujos preços variam entre R$ 100 e R$ 280. Os recipientes têm capacidade de coletar entre 700 e 1,5 mil peças/mês. As vendas são feitas exclusivamente por meio do site www.bitucaverde.com.br. A clientela do empreendimento é composta por bares, restaurantes, condomínios, hotéis e eventos.

Certificado

Outro diferencial da Bituca Verde é o fato de fornecer o certificado Global Soluções Ambientais, reconhecido pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), ligada à Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, à sua clientela. No carnaval carioca de 2013, o empreendimento fez uma experiência inédita: se tornou parceiro do bloco Vagalume Verde, do bairro Jardim Botânico, e coletou 20 mil pontas de cigarro, durante os quatro dias de folia.

Assim, este bloco se tornou o primeiro certificado do carnaval pela Global Soluções Ambientais. Em 2014, Fabiano avisa, vai repetir a experiência, que também pode ser ampliada a outros carnavais. No momento, a Bituca Verde está de olho no mercado fluminense. A prefeitura da cidade está multando cidadãos que descartam resíduos nas ruas e o empreendimento paulista enxerga boas oportunidades nesse cenário.

Parcerias

O sistema de logística reversa montado pela Bituca Verde envolve a parceria com outro empreendimento, a Renova Ambiental, que recebe o material coletado e descartado nos ecopontos do Programa Bitueco e o transforma em produto para alimentar fornos da indústria de cimento e também siderúrgicas. As guimbas de cigarros junto a outros resíduos – restos de estopa, tecidos, espuma, etc – passam a integrar uma massa flocada de alto teor calórico (mix), que substitui o carvão vegetal no processo de queima dos dois setores industriais.

 Publicado em Ecodesenvolvimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.